HOME


PAULO SALDIVA PROPÕE A CRIAÇÃO DA SOCIEDADE PROTETORA DO SER HUMANO

por Assessoria de Comunicação FMJ - Jornalista Responsável - Claudia Mello - MTB – 28.835 em 13/06/2017 14:36:20
 

Hoje pela manhã, o patologista e comentarista do Jornal da Cultura esteve em Jundiaí e falou de maneira simples sobre as doenças que acometem o mundo moderno. Disse ainda que é preciso ficar atento, pois os médicos tem um papel fundamental para estimular este paciente a buscar qualidade de vida.

Saldiva defende mudanças nas formas de mobilidade urbana. “É preciso melhorar a vida das pessoas agora. Em São Paulo, se você deixar seu carro em casa e andar de ônibus estará andando de 6 a 10 mil passos por dia e com isso, estará se exercitando. Faça uma experiência!”, desafia Saldiva.

O patologista começou a estudar os efeitos prejudiciais da poluição urbana sobre a saúde há 30 anos, avançou bastante em sua carreira profissional. Aos poucos ele levou as conclusões para outros espaços, com o propósito de melhorar a qualidade do ar e da vida nas cidades.

 

Ainda sobre os perigos da vida urbana, ele citou ruído, sono, solidão, doenças mentais que estão cada vez mais frequentes entre os jovens e idosos. “É preciso criar a sociedade protetora do ser humano. Você precisa produzir e estimular ações que melhorem a vida das pessoas ao seu redor”.

 

O professor Saldiva esteve em Jundiaí a convite do médico e professor da FMJ, Thomaz Gollop e por meio do Centro de Estudos Governador Geraldo Alckmin do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí.

 
 
Copyright © 2017 - Faculdade de Medicina de Jundiaí - Todos os Direitos Reservados